Arthur Lira e Rodrigo Pacheco ambos apoiados pelo governo Federal ganham eleição na Câmara e no Senado

Rodrigo Pacheco( DEM – MG) é eleito presidente do Senado, e Arthur Lira ( PP-AL) é eleito presidente da Câmara dos Deputados.

O novo presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG) Marcos Oliveira/Agência Senado

O senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG) foi eleito em primeiro turno nesta segunda-feira (1º), em votação secreta, presidente do Senado e do Congresso Nacional pelos próximos dois anos.
Pacheco recebeu 57 votos e Simone Tebet (MDB-MS), 21. Os dois foram os únicos que restaram na disputa após Lasier Martins (Pode-RS), Major Olímpio (PSL-SP) e Jorge Kajuru (Cidadania-GO) terem desistido em favor de Tebet.

A candidatura de Pacheco contou com o apoio do presidente Jair Bolsonaro e de dez partidos, entre os quais siglas de oposição, como PT, Rede e PDT.
O resultado da eleição no Senado, anunciado pouco antes das 19h, foi o seguinte:

  • Rodrigo Pacheco (DEM-MG): 57 votos
  • Simone Tebet (MDB-MS): 21 votos.

Dos 81 parlamentares, três não votaram — Chico Rodrigues (DEM-RR), licenciado do mandato; e Jacques Wagner (PT-BA) e Jarbas Vasconcellos (MDB-PE), por razões médicas.

Ao longo de 2021 e 2022, o novo presidente do Senado vai ter de encarar uma série de desafios. Entre as missões elencadas por líderes partidários, estão:

  • A busca pela independência do Senado;
  • A análise das reformas tributária e administrativa;
  • O empenho em medidas de enfrentamento à pandemia da Covid-19, como a assistência financeira a famílias atingidas pelos reflexos do coronavírus na economia.
Arthur Lira Imagem Cleia Viana Câmara dos Deputados

Arthur Lira foi eleito com o apoio de 11 partidos: PP, PL, PSD, Republicanos, Avante, PROS, Patriota, PSC, PTB, PSL e Podemos.

Apoiado pelo presidente Jair Bolsonaro, Lira recebeu 302 votos, contra 145 de seu principal concorrente, o deputado Baleia Rossi (MDB-SP), lançado por Rodrigo Maia (DEM-RJ), então presidente da Casa. Votaram 505 dos 513 deputados.

  • Arthur Lira  302 votos
  • Baleia Rossi (MDB-SP), com 145 votos.
  • Fábio Ramalho (MDB-MG), com 21 votos;
  • Luiza Erundina (Psol-SP), com 16 votos;
  • Marcel van Hattem (Novo-RS), com 13 votos;
  • André Janones (Avante-MG), com 3 votos;
  • Kim Kataguiri (DEM-SP), com 2 votos;
  • General Peternelli (PSL-SP), com 1 voto.
  • 2 votos em branco

No ano passado, foi um dos articuladores da aproximação do Planalto com o Centrão, que virou base aliada do Executivo na Câmara. Apesar de hoje estar alinhado a Bolsonaro, nem sempre foi assim.

Sobre pautar matérias específicas para ser votadas no plenário da Câmara.

“Muito embora, por tradição, seja o presidente que leve as pautas ao plenário, para que seja construída com democracia, com soberania e diálogo, elas devem passar antes pela aprovação do colégio de líderes. Não cabe a mim, se eleito, fazer a pauta do Brasil ao meu gosto, como fez o presidente atual. Qualquer projeto, seja de direita, de centro, de esquerda, seja econômico ou social, que estiver amadurecido na sociedade brasileira e que contar com a maioria da aprovação no colégio de líderes, será pautado automaticamente, e o resultado será democraticamente resolvido no plenário. O papel do presidente é estar ao centro do plenário, olhando para os dois lados e conduzindo com absoluta isenção os trabalhos legislativos.”( Arthur lira)

Fonte: G1 POLÍTICA com informações de  Agência Câmara de Notícias

 

 

 

 

 

COMPARTILHAR
Professor História - UESPI. Ciências da Religião - IESE. Pedagogia - ISEPRO. Letras - Inglês - UESPI. Pós-graduação em: Docência do Ensino Superior - FAEME. Gestão e Supervisão Escolar - IESM. Ensino da Língua Inglesa - ISEPRO.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui